AGORA, QUER-SE VIOLENTAR O NOSSO VERNÁCULO…

Para o BOM PORTUGUÊS meia palavra basta.

Tem-se notado que a candidata Dilma Rousseff e seus apoiadores pretendem que ela venha a ser a primeiraPresidenta do Brasil, tal como atesta toda

a propaganda política veiculada na mídia.

Presidenta?

Mas, afinal, que palavra é essa totalmente inexistente em nossa língua?

Bem, vejamos…


No português existem os particípios ativos como derivativos verbais. Por exemplo: o

particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante,

o de existir é existente, o de mendicar é mendicante
Qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade.

Assim, quando queremos designar alguém com capacidade paraexercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos anteente ou inte. Portanto, à pessoa quepreside é PRESIDENTE,

e não “presidenta”, independentemente do sexo que tenha.

Diz-se capela ardente e não capela ardenta; diz-seestudante e não estudanta;

diz-se adolescente e não adolescenta; diz-se paciente e nãopacienta.

Por outro lado, a intenção da candidata faz sentido:

A candidata a presidenta se comporta como umaadolescenta pouco

pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta.

Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudesbarbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta.”

Amigos(as), Presidenta do Brasil, nunca!

Pelo nosso vernáculo e pela intenção de nosso Povo, só há lugar a um(a) Presidente! Até fazemos torcida para que, em breve tempo, tenhamos uma Mulher Qualificada. Jamais umaaspirantaPresidenta, que, além de ferir o nosso vernáculo, foram barbarizantas suas ações no passado…

Quer ser Presidenta? Que o seja onde quiser, na Cubanta, naVenezuelanta, ou em qualquer outra “anta”, menos aqui!

Por um Brasil Melhor!

Anúncios