Obrigado, presidente Dilma!

Deixe um comentário

Agradeço à presidente Dilma por vetar o aumento aos aposentados, pois eles não precisam de aumento, não pagam luz, gás, aluguel, remédios, etc., como todas as outras categorias.

Tudo lhes é dado gratuitamente, ao contrário de parlamentares, juízes, ministros, etc., que têm de trabalhar duro para conseguir o pouco que têm.

Aposentado só trabalhou por 30, 35 anos, descontando durante esses anos todos para uma Previdência que hoje o acha culpado de todos os males.

Aposentado vive de teimoso, pois já não se precisa mais dele, agora que não trabalha mais; é um vagabundo e só serve para o Imposto de Renda.

Além disso, a única greve que os aposentados podem fazer é a de não mais morrerem e entupirem um pouco mais os hospitais públicos, com suas doenças.

Cordiais saudações, presidente Dilma. Nós, os aposentados, agradecemos seu carinho e respeito.’

Da leitora de O Globo, Maria Cristina Duarte de Faria

Orginal: http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2011/08/17/calcada-da-fama-obrigado-presidente-dilma-398055.asp

Anúncios

Pior Retorno Para o Cidadão No Uso de Impostos

Deixe um comentário

Em ranking de 30 países, Brasil é o que mostra pior retorno para o cidadão no uso de impostos

A arrecadação de impostos no Brasil pode ser melhor investida em benefício da população, diz estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). De 30 países observados, o Brasil está na última posição no ranking sobre aproveitamento dos recursos arrecadados, inclusive entre os sul-americanos – Argentina e Uruguai. O primeiro colocado é a Austrália, depois vêm os Estados Unidos, a Coreia do Sul, o Japão e a Irlanda.

O presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, defendeu a redução da quantidade de impostos cobrados no país e o aperfeiçoamento na utilização dos recursos. Em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional, Olenike disse que o resultado da pesquisa mostra que é necessário agir rapidamente.

“O Brasil, como potência que é hoje, economicamente, vem sendo o sexto maior em termos de PIB [Produto Interno Bruto] e em termos de crescimento econômico. Mas, ao mesmo tempo, não transforma isso em qualidade de vida para a população, o que é bastante lamentável”, disse Olenike.

O estudo analisou o comportamento dos consumidores e a aplicação dos recursos em 30 países. Pela ordem, os piores colocados no ranking são o Brasil, a Itália, a Bélgica, a Hungria e a França. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores consideraram a carga tributária de cada país, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e elaboraram o que foi chamado de Índice de Retorno de Bem Estar da Sociedade (Irbes).

De acordo com o IBPT, em 2011, o Brasil arrecadou cerca de R$ 1,5 trilhão em pagamentos de tributos. “Esse valor deveria voltar mais significativamente para a população”, defendeu Olenike. Segundo ele, um dos aspectos considerados graves pela pesquisa é que não há retorno em investimentos básicos para a população.

Olenike citou como exemplo serviços relativos à educação, saúde e segurança. De acordo com ele, a classe média se vê obrigada a complementar o que o Poder Público deveria arcar. “O pessoal da classe média é obrigado a pagar uma tributação indireta e complementar, [por exemplo, pagando] o plano de saúde privado”, disse ele, citando também escolas particulares e pedágios nas estradas.

Veja original

Acredite se quiser

Deixe um comentário

Pouca gente sabe disto, mas vamos esclarecer a coisa.

Acredite se quiser:

Paulo Bernardo, Ministro das Comunicações, é marido da senadora Gleish Hoffmann, Chefe da Casa Civil.
Gilberto Carvalho, Secretário Geral da Presidência, é irmão de Mirian Belchior, Ministra do Planejamento.
Essa Mirian Belchior já foi casada com Celso Daniel, ex-prefeito de Santo André, que morreu assassinado.

Voce sabia e não contou para ninguem?

A doutora Elizabete Sato, delegada que foi escalada para investigar o processo sobre o assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, é tia de Marcelo Sato, marido da Lurian, que apenas por coincidência, é filha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Exatamente: Marcelo Sato, genro do ex-presidente da República, é sobrinho da delegada Elizabete Sato, titular do 78º DP, que demorou séculos para concluir que o caso Celso Daniel foi um “crime comum”, sem motivação política.
Tambem por apenas coincidência, Marcelo Sato é dono de uma empresa de assessoria que presta serciços ao BESC – Banco de Santa Catarina (federalizado), no qual é dirigente Jorge Lorenzetti (churrasqueiro official do ex-presidente Liula e um dos petistas envolvidos no escândalo da compra de dossiês).

E ainda, por outra incrîvel coincidência, o marido da senadora Ideli Salvatti (PT) é o presidente do BESC.

Conclusão: O POVO ESTÁ DORMINDO!

 

 

Idosos na Cadeia – Idéia Genial!

Deixe um comentário

Vamos colocar nossos IDOSOS NAS CADEIAS e os delinqüentes nas ”casas de repouso”.

Desta maneira:

  • Os idosos teriam todos os dias acesso a uma ducha, lazer, passeios.
  • Não teriam necessidade de fazer comida, fazer compras, lavar a louça, arrumar a casa, lavar roupa etc.
  • Teriam medicamentos e assistência médica regular e gratuita.
  • Estariam permanentemente acompanhados.
  • Teriam refeições quentes e a toda hora.
  • Não teriam que pagar pelo seu alojamento.
  • Teriam direito a vigilância permanente por vídeo e receberiam assistência imediata em caso de acidente ou emergência, sem qualquer pagamento.
  • Suas camas seriam mudadas duas vezes por semana e a roupa lavada e passada com regularidade.
  • Um guarda visitá-los-ia a cada 20 minutos e levar-lhes-ia a correspondência diretamente em mãos.
  • Teriam um local pra receberem a família ou outras visitas.
  • Teriam acesso a uma biblioteca, sala de exercícios e terapia física / espiritual.
  • Seriam encorajados a arranjar terapias ocupacionais adequadas, com formadores, instalações e equipamento gratuitos.
  • Ser-lhes-iam fornecidos gratuitamente roupas e produtos de higiene pessoal.
  • Teriam assistência jurídica gratuita.
  • Viveriam numa habitação privada e segura, com um pátio para convívio e exercícios.
  • Teriam acesso a leitura, computador, televisão, rádio, celulares e chamadas telefônicas na rede fixa.
  • Teriam um secretariado de apoio, e ainda, para escutar suas queixas, teriam Psicólogos, Assistentes Sociais, Políticos, Televisões, Anistia Internacional, etc.
  • O secretariado e os guardas seriam obrigados a respeitar um rigoroso código de conduta, sob pena de serem duramente penalizados.
  • Ser-lhes-iam reconhecidos todos os direitos humanos internacionalmente convencionados e subscritos.

Por outro lado, nas “atuais casas de repouso para idosos”:

  • Os delinqüentes viveriam numa pequena habitação, com obras feitas há mais de 50 anos.
  • Teriam que confeccionar a sua comida, e comê-la muitas vezes fria e fora de hora.
  • Teriam que tratar da sua roupa.
  • Viveriam sós e sem vigilância.
  • Esquecer-se-iam de comer e de tomar os medicamentos e não teriam ninguém que os ajudasse.
  • De vez em quando seriam vigarizados, assaltados ou até violados.
  • Se morressem, poderiam ficar anos, até alguém os encontrar.
  • As instituições e os políticos não lhes dariam qualquer importância ou assistência.
  • Morreriam após anos à espera de uma consulta médica ou de uma operação cirúrgica.
  • Não teriam ninguém a quem se queixar.
  • Tomariam um banho de 15 em 15 dias, sujeitando-se a não haver água quente ou a caírem na banheira velha.
  • Passariam frio no Inverno porque não teriam aquecimento.
  • O entretenimento diário consistiria em ver telenovelas.

Digam se desta forma não haveria mais justiça, pelo menos para com os idosos, e todos os contribuintes agradeceriam?

Reflitam e façam circular esta idéia….

Quem “bolou” e enviou a mensagem esqueceu:tem também o salário do preso, que seria destinado aos idosos. Aí os presos teriam que se virar com as aposentadorias…

Compras sem licitação crescem sob Dilma e atingem quase R$ 14 bilhões

Deixe um comentário

O governo da presidente Dilma Rousseff manteve a tendência do antecessor de priorizar gastos públicos feitos sem licitação, opção criticada pelos órgãos de controle interno e que limita a competição entre fornecedores. Segundo os dados mais recentes do Ministério do Planejamento, as compras e contratações de serviços com dispensa ou inexigibilidade de licitação cresceram 8% em 2011, atingindo R$ 13,7 bilhões na administração federal, autarquias e fundações.
A assinatura de contratos com empresas escolhidas sem concorrência nos dez primeiros meses de gestão de Dilma atingiu 47,84% do total, quase metade do orçamento dessas despesas, a maior fatia desde 2006. No último ano de mandato de Luiz Inácio Lula da Silva (2010), as compras sem licitação corresponderam a 45,25% do total.
Desde o início do segundo mandato de Lula, a dispensa e inexigibilidade de licitação vêm crescendo mais do que outras modalidades de gastos. No primeiro ano do governo Dilma, os gastos feitos sem procedimento licitatório foram 94% maiores do que em 2007. Ao mesmo tempo, o governo de Dilma reduziu o uso de outras modalidades previstas na Lei de Licitações que permitiram maior competição: a tomada de preços e a concorrência, por exemplo.
A título de comparação, enquanto os gastos sem licitação cresceram 8% houve um aumento de 4% nas licitações por pregão, uma modalidade que foi defendida pelo ex-presidente Lula como uma das mais transparentes e menos sujeitas a fraudes.
Em 2005, o petista regulamentou o uso de pregão eletrônico, modalidade em que os competidores apresentam as suas propostas em um sistema na internet, visível a todos.
A opção do governo por diminuir o uso de procedimentos públicos de competição contrasta com as promessas da presidente Dilma Rousseff de melhorar a gestão e dar maior transparência às ações da administração pública federal.
Legislação. A dispensa e a inexigibilidade de licitação estão previstas na Lei de Licitações, de 1993. Grosso modo, o governo pode descartar a concorrência quando o valor for tão baixo que custaria mais fazer todo o processo licitatório. Já a inexigibilidade ocorre quando somente um fornecedor pode apresentar o serviço ou o produto, como medicamentos patenteados.
Também há dispensa de licitação em contratações emergenciais, quando não há tempo de realizar todo o processo de concorrência pública, como obras de reparação após desastres naturais, como consertos de pontes e rodovias, por exemplo. O controle dos gastos é feito pelo Tribunal de Contas da União e pela Controladoria-Geral da União (CGU).
Descontrole. Para o ministro José Jorge, do TCU, o menor uso de licitações favorece o descontrole de gastos, além de irregularidades em contratações, como o conluio entre empresas.
‘É preocupante, porque o grande fator de controle, tanto de preços quanto da qualidade, é a licitação. Toda vez que se foge dela, a probabilidade de haver problemas é maior’, afirmou José Jorge, acrescentando que os contratos sem licitação exigem mais fiscalização do tribunal.
A lei também estabelece outras modalidades de contratação, como o convite ou consultas técnicas antes de uma concorrência. Na modalidade de tomada de preços um ministério faz pesquisa no mercado, identifica o valor de venda de determinado produto e essa lista serve como referência para compras.
No primeiro ano do governo Dilma, além do aumento de gastos por dispensa de licitação, também houve queda no uso de outras modalidades da lei. Os contratos feitos por concorrência foram 14% menores; tomadas de preço caíram 26%.
Ministérios. A prática de dispensa de licitação também contamina a Esplanada dos Ministérios no governo Dilma.
Dados do Ministério do Planejamento mostram que o Ministério da Cultura aumentou em 83% a dispensa e inexigibilidade de licitação no ano passado. Também apresentaram forte aumento desta modalidade as pastas de Minas e Energia (63%), Trabalho (58%), e de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (45%).

Custo de vida do Brasil supera o dos EUA

Deixe um comentário

O custo de vida do Brasil superou o dos Estados Unidos em 2011, quando medido em dólares, segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre o PIB dos 187 países-membros. Este fato é extremamente anormal para um país emergente. Em uma lista do FMI de 150 países em desenvolvimento, o Brasil é praticamente o único cujo custo de vida supera o americano em 2011, o que significa dizer que é o mais caro em dólares de todo o mundo emergente.

Leia o artigo completo aqui.

 

República Popular do Brasil

Deixe um comentário

A República Popular do Brasil já está implantada na prática, mas muita gente prefere ignorar ou fingir que não percebe. O sistema em vigor não obedece à tradicional ideologia comunista que subverteu até as mal formuladas ideias do velho Karl Marx. Aqui obedecemos ao Capimunismo – modelo político-econômico que combina crescente e cínica intervenção estatal sobre a produção, o consumo e a vida das pessoas.

Juros altíssimos, impostos elevadíssimos, leis e regras inventadas e impostas para causar desordem jurídica e inviabilizar a democracia e a soberania são alguns dos fundamentos do Governo Petista do Crime Organizado. A máquina estatal aumenta seu poder, gradualmente, para interferir cada vez mais na vida das pessoas, tornando-as reféns do esquema cada vez mais concentrado nos sujeitos que se acostumaram a usar a política como meio de garantir poder, dinheiro, hegemonia e prestígio.

Mais

Older Entries